pt.toflyintheworld.com
Novas receitas

8 alergias alimentares mais perigosas em uma festa infantil (apresentação de slides)

8 alergias alimentares mais perigosas em uma festa infantil (apresentação de slides)


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Tenha cuidado ao servir crianças com alergia alimentar qualquer uma dessas comidas típicas de festa

O motivo: Leite
Ser alérgico ao leite não é o mesmo que ser intolerante à lactose. Embora a intolerância à lactose cause problemas digestivos, ser alérgico ao leite de vaca significa que você provavelmente é alérgico às proteínas encontradas no leite. A coalhada do leite contém a maioria dessas proteínas (cerca de 80 por cento) e o soro do leite contém a outra porção. Se uma criança comesse uma pizza de queijo, um alimento comum para festas, seus corpos processariam as proteínas do leite como invasores, chutando o sistema imunológico do corpo em alta velocidade e causando a reação alérgica externa.

Pizza

O motivo: Leite
Ser alérgico ao leite não é o mesmo que ser intolerante à lactose. Se uma criança comesse uma pizza de queijo, um alimento comum para festas, seus corpos processariam as proteínas do leite como invasores, chutando o sistema imunológico do corpo em alta velocidade e causando a reação alérgica externa.

Bolo de aniversário

O motivo: Ovos
Esteja você cozinhando do zero ou usando uma mistura em caixa, ovos estão sempre envolvidos no bolo. Ser alérgico a ovos tem a ver com uma reação negativa às proteínas dos ovos. Especificamente, a maioria das pessoas tem problemas com as proteínas da clara do ovo, mas algumas têm problemas com a própria gema. A maioria das crianças desenvolve essa alergia cedo na vida, mas normalmente a supera aos cinco anos de idade. Isso não torna menos perigoso, no entanto, se uma criança consumir ovos e for alérgica a eles.

Biscoitos

O motivo: Ovos

As crianças sempre ficam loucas por biscoitos, mas em cada mordida celestial, os ovos são dobrados. Se um pequeno tiver alergia a ovo, certifique-se de encontrar uma guloseima sem ovos, como biscoitos, para que eles possam desfrutar !

Doce

O motivo: Amendoim
Infelizmente, alergia a amendoim são uma das alergias mais comuns e mortais. As crianças que comem amendoim e têm alergia podem provavelmente entrar em choque anafilático, uma reação alérgica muitas vezes mortal. Infelizmente, o amendoim também está presente em muitos alimentos raramente associados ao amendoim, portanto, leia atentamente todos os rótulos dos alimentos de sua festa antes de colocá-los para lanchar.

Biscoitos

O motivo: Soja
É verdade que a soja é mais comumente encontrada na culinária asiática; ela pode ser encontrada em uma tonelada de alimentos enlatados e processados, como biscoitos e lanches típicos de festas. Uma alergia à soja não é terrivelmente comum em crianças e crianças com essa alergia costumam crescer fora dela por volta dos três anos, mas uma criança que a tem precisa ser extremamente cuidadosa com o que comem.

Saladas de Macarrão

O motivo: Trigo

A maioria das pessoas confunde uma alergia ao trigo com uma alergia ao glúten, mas a verdade é que as duas não estão intrinsecamente ligadas. UMA alergia a trigo tem a ver com as proteínas do trigo que causam estragos no sistema imunológico, uma alergia ao glúten está ligada a problemas com o intestino delgado. Se uma criança é alérgica a trigo, provavelmente também é alérgica a outros grãos, portanto, tome cuidado com os biscoitos, massas e pães da festa.

Sorvete

O motivo: Leite e nozes

Embora você provavelmente espere que uma alergia ao leite possa causar um problema para servir sorvete, você provavelmente nunca esperaria que nozes fossem um problema. Se nozes (que são uma alergia separada do amendoim) forem misturadas em certos sabores de sorvete, isso pode causar um problema. Certifique-se de ler os rótulos de todas as guloseimas congeladas para o caso.

Frango Assado

O motivo: Peixe e Marisco

Acha que está mantendo as crianças seguras com frango de churrasco grelhado? Pense de novo! Um produto de peixe é frequentemente encontrado em molhos de churrasco que podem causar uma reação alérgica. Os tipos mais comuns de peixes alérgicos também são o salmão, o atum e o linguado. Marisco é igualmente preocupante, mas é uma alergia separada de uma alergia a peixe puro. Ter um não significa necessariamente ter o outro.


O leite é um alimento inflamatório comum. Estima-se que 30 a 50 milhões de americanos sejam intolerantes à lactose.

Ser intolerante à lactose significa que você tem problemas para digerir o açúcar do leite chamado lactose. Pessoas com intolerância à lactose não possuem a enzima lactase, necessária para quebrar o açúcar do leite.

O resultado é uma resposta inflamatória que produz dor de estômago, diarreia, prisão de ventre, erupções cutâneas e dificuldade para respirar.

As proteínas do leite (caseína e soro) também podem desencadear uma resposta inflamatória, tornando os produtos lácteos um alimento inflamatório duplo para algumas pessoas.

6. Alimentos Fritos

O óleo usado para fritar os alimentos é rico em ácidos graxos ômega-6. Comer esses alimentos cria um desequilíbrio entre ômega-3 e ômega-6, o que cria inflamação.

Batatas fritas e batatas fritas são cozidas em temperaturas extremamente altas, o que cria uma substância química inflamatória chamada acrilamida. A Organização Mundial da Saúde declara que altos níveis de acrilamida nos alimentos representam uma grande preocupação para a saúde.

7. Gorduras saturadas

Queijo, carne gordurosa e manteiga, que são a base da dieta americana, promovem a inflamação.

A colina, que é uma substância encontrada em alimentos lácteos e carnes, é convertida em compostos pró-inflamatórios pelas bactérias intestinais.

Uma alta ingestão de gorduras saturadas também está associada à obesidade, que alimenta o processo inflamatório. As células de gordura aumentadas em uma pessoa obesa recrutam macrófagos (células grandes que lutam contra infecções), que promovem a resposta inflamatória.

8. Carnes alimentadas com grãos

Animais criados comercialmente (ou em criação industrial) são alimentados com grandes quantidades de soja, milho e outros grãos que são ricos em gorduras ômega-6 e pobres em gorduras ômega-3. Esse desequilíbrio altera o conteúdo de gordura, deixando as carnes alimentadas com grãos ricas em ácidos graxos ômega-6 inflamatórios.

A carne alimentada com grãos também contém hormônios e antibióticos, que aumentam a inflamação.

A alternativa mais saudável são carnes orgânicas alimentadas com pasto e alimentadas com pasto, sem hormônios ou antibióticos.

(Dr. Mark Hyman tem um bom vídeo e artigo que aborda a questão: Carne é boa ou ruim para você?)

9. Carnes Processadas

Carnes frias, salgadinhos, cachorros-quentes e itens semelhantes que foram fumados, curados, enlatados, salgados ou preservados quimicamente são alimentos inflamatórios.

Esses alimentos permitem a formação de produtos finais de glicação avançada (AGEs), que aumentam a inflamação.

Muitas carnes processadas são cozidas em altas temperaturas, o que também promove a produção de produtos químicos inflamatórios.

10. Álcool em grandes quantidades

O consumo leve de álcool (1 a 7 doses por semana) pode diminuir os marcadores inflamatórios.

Porém, mais de 7 drinques por semana promovem a inflamação.

11. Carboidratos Refinados

Pão branco, macarrão, farinha, biscoitos e cereais com baixo teor de fibras estimulam a produção de produtos finais de glicação avançada (AGEs) que causam inflamação.

Esses alimentos também criam um pico de açúcar no sangue que resulta em um estado inflamatório.

12. Glúten

O glúten, que é uma proteína encontrada no trigo, no centeio e na cevada, é o que dá ao pão e à massa sua desejável textura em borracha.

O glúten é comum no pão, mas também pode ser encontrado em produtos assados, sopas, massas, cereais, molhos e molhos para salada.

O corpo de uma pessoa que é sensível ao glúten vê a proteína como um patógeno estranho e, como resposta, desencadeia uma inflamação.

De acordo com a The Gluten Free Society, a sensibilidade ao glúten pode causar inflamação do intestino, bem como inflamação dos músculos e articulações, levando à dor crônica.

13. Adoçantes artificiais

Equal, NutraSweet e outros adoçantes contendo aspartame são comumente usados ​​em alimentos e bebidas para torná-los livres de açúcar.

Algumas pessoas podem desenvolver sensibilidade ao aspartame, que inflama as articulações, causa problemas respiratórios, dores de cabeça, erupções cutâneas e inchaço (pálpebras, lábios).

Se você bebe muito refrigerante diet, come muitos alimentos "light" ou "sem açúcar" ou adiciona adoçantes artificiais à sua comida, eu o encorajo a ler este artigo de Richard J. Sabates, MD que detalha seu chocante relato pessoal de dores nas articulações causadas pelo aspartame.

14. MSGs

Usado como um intensificador de sabor na comida chinesa, os MSGs (glutamato monossódico) promovem a inflamação do fígado.

Em um estudo, os ratos que foram injetados com MSGs desenvolveram inflamação significativa, obesidade abdominal e diabetes tipo 2.

15. Conservantes, cores artificiais e sabores

Aditivos não naturais projetados para aumentar a vida útil ou tornar os alimentos mais visualmente atraentes ou saborosos não são reconhecidos como alimento pelo seu corpo.

Visto como invasores estranhos, o corpo cria inflamação como parte de uma resposta imunológica para se defender contra a substância desconhecida.

16. Refeições Prontas

Essas refeições altamente processadas contêm muitos dos elementos prejudiciais desta lista de alimentos inflamatórios, incluindo óleos vegetais totalmente hidrogenados, MSGs, conservantes, cores artificiais, açúcar e carboidratos refinados.

Quer sejam embaladas em um freezer, caixa ou lata, essas refeições são fáceis de preparar, mas sua capacidade de causar inflamação pode levar a consequências para a saúde a longo prazo e dores crônicas.

17. Intolerâncias alimentares pessoais

Alergias e intolerâncias não são iguais para todos, então é importante notar que qualquer alimento que você não tolera bem pode desencadear uma resposta inflamatória.

As intolerâncias alimentares comuns incluem milho, nozes, ovos, trigo, soja e laticínios.

Se esses alimentos causam desconforto, é possível que comê-los crie uma resposta inflamatória crônica de baixo grau em seu corpo.


O leite é um alimento inflamatório comum. Estima-se que 30 a 50 milhões de americanos sejam intolerantes à lactose.

Ser intolerante à lactose significa que você tem problemas para digerir o açúcar do leite chamado lactose. Pessoas com intolerância à lactose não possuem a enzima lactase, necessária para quebrar o açúcar do leite.

O resultado é uma resposta inflamatória que produz dor de estômago, diarréia, constipação, erupções cutâneas e dificuldade para respirar.

As proteínas do leite (caseína e soro) também podem desencadear uma resposta inflamatória, tornando os produtos lácteos um alimento inflamatório duplo para algumas pessoas.

6. Alimentos Fritos

O óleo usado para fritar os alimentos é rico em ácidos graxos ômega-6. Comer esses alimentos cria um desequilíbrio entre ômega-3 e ômega-6, o que cria inflamação.

Batatas fritas e batatas fritas são cozidas em temperaturas extremamente altas, o que cria uma substância química inflamatória chamada acrilamida. A Organização Mundial da Saúde declara que altos níveis de acrilamida nos alimentos representam uma grande preocupação para a saúde.

7. Gorduras saturadas

Queijo, carne gordurosa e manteiga, que são a base da dieta americana, promovem a inflamação.

A colina, que é uma substância encontrada em alimentos lácteos e carnes, é convertida em compostos pró-inflamatórios pelas bactérias intestinais.

Uma alta ingestão de gorduras saturadas também está associada à obesidade, que alimenta o processo inflamatório. As células de gordura aumentadas em uma pessoa obesa recrutam macrófagos (células grandes que lutam contra infecções), que promovem a resposta inflamatória.

8. Carnes alimentadas com grãos

Animais criados comercialmente (ou em criação industrial) são alimentados com grandes quantidades de soja, milho e outros grãos que são ricos em gorduras ômega-6 e pobres em gorduras ômega-3. Esse desequilíbrio altera o conteúdo de gordura, deixando as carnes alimentadas com grãos ricas em ácidos graxos ômega-6 inflamatórios.

A carne alimentada com grãos também contém hormônios e antibióticos, que aumentam a inflamação.

A alternativa mais saudável são carnes orgânicas alimentadas com pasto e alimentadas com pasto, sem hormônios ou antibióticos.

(Dr. Mark Hyman tem um bom vídeo e artigo que aborda a questão: Carne é boa ou ruim para você?)

9. Carnes Processadas

Carnes frias, salgadinhos, cachorros-quentes e itens semelhantes que foram fumados, curados, enlatados, salgados ou preservados quimicamente são alimentos inflamatórios.

Esses alimentos permitem a formação de produtos finais de glicação avançada (AGEs), que aumentam a inflamação.

Muitas carnes processadas são cozidas em altas temperaturas, o que também promove a produção de produtos químicos inflamatórios.

10. Álcool em grandes quantidades

O consumo leve de álcool (1 a 7 doses por semana) pode diminuir os marcadores inflamatórios.

Porém, mais de 7 drinques por semana promovem a inflamação.

11. Carboidratos Refinados

Pão branco, macarrão, farinha, biscoitos e cereais com baixo teor de fibras estimulam a produção de produtos finais de glicação avançada (AGEs) que causam inflamação.

Esses alimentos também criam um pico de açúcar no sangue que resulta em um estado inflamatório.

12. Glúten

O glúten, que é uma proteína encontrada no trigo, no centeio e na cevada, é o que dá ao pão e à massa sua desejável textura em borracha.

O glúten é comum no pão, mas também pode ser encontrado em produtos assados, sopas, massas, cereais, molhos e molhos para salada.

O corpo de uma pessoa que é sensível ao glúten vê a proteína como um patógeno estranho e, como resposta, desencadeia uma inflamação.

De acordo com a The Gluten Free Society, a sensibilidade ao glúten pode causar inflamação do intestino, bem como inflamação dos músculos e articulações, levando à dor crônica.

13. Adoçantes artificiais

Equal, NutraSweet e outros adoçantes contendo aspartame são comumente usados ​​em alimentos e bebidas para torná-los livres de açúcar.

Algumas pessoas podem desenvolver sensibilidade ao aspartame, que inflama as articulações, causa problemas respiratórios, dores de cabeça, erupções cutâneas e inchaço (pálpebras, lábios).

Se você bebe muito refrigerante diet, come muitos alimentos “light” ou “sem açúcar” ou adiciona adoçantes artificiais à sua comida, eu o encorajo a ler este artigo de Richard J. Sabates, MD que detalha seu chocante relato pessoal de dores nas articulações causadas pelo aspartame.

14. MSGs

Usado como um intensificador de sabor na comida chinesa, os MSGs (glutamato monossódico) promovem a inflamação do fígado.

Em um estudo, os ratos que foram injetados com MSGs desenvolveram inflamação significativa, obesidade abdominal e diabetes tipo 2.

15. Conservantes, cores artificiais e sabores

Aditivos não naturais projetados para aumentar a vida útil ou tornar os alimentos mais visualmente atraentes ou saborosos não são reconhecidos como alimento pelo seu corpo.

Visto como invasores estranhos, o corpo cria inflamação como parte de uma resposta imunológica para se defender contra a substância desconhecida.

16. Refeições Prontas

Essas refeições altamente processadas contêm muitos dos elementos prejudiciais desta lista de alimentos inflamatórios, incluindo óleos vegetais totalmente hidrogenados, MSGs, conservantes, cores artificiais, açúcar e carboidratos refinados.

Quer sejam embaladas em um freezer, caixa ou lata, essas refeições são fáceis de preparar, mas sua capacidade de causar inflamação pode levar a consequências de longo prazo para a saúde e dores crônicas.

17. Intolerâncias alimentares pessoais

Alergias e intolerâncias não são iguais para todos, então é importante notar que qualquer alimento que você não tolera bem pode desencadear uma resposta inflamatória.

As intolerâncias alimentares comuns incluem milho, nozes, ovos, trigo, soja e laticínios.

Se esses alimentos causam desconforto, é possível que comê-los crie uma resposta inflamatória crônica de baixo grau em seu corpo.


O leite é um alimento inflamatório comum. Estima-se que 30 a 50 milhões de americanos sejam intolerantes à lactose.

Ser intolerante à lactose significa que você tem problemas para digerir o açúcar do leite chamado lactose. Pessoas com intolerância à lactose não possuem a enzima lactase, necessária para quebrar o açúcar do leite.

O resultado é uma resposta inflamatória que produz dor de estômago, diarréia, constipação, erupções cutâneas e dificuldade para respirar.

As proteínas do leite (caseína e soro) também podem desencadear uma resposta inflamatória, tornando os produtos lácteos um alimento duplo inflamatório para algumas pessoas.

6. Alimentos Fritos

O óleo usado para fritar os alimentos é rico em ácidos graxos ômega-6. Comer esses alimentos cria um desequilíbrio entre ômega-3 e ômega-6, o que cria inflamação.

Batatas fritas e batatas fritas são cozidas em temperaturas extremamente altas, o que cria uma substância química inflamatória chamada acrilamida. A Organização Mundial da Saúde declara que altos níveis de acrilamida nos alimentos representam uma grande preocupação para a saúde.

7. Gorduras saturadas

Queijo, carne gordurosa e manteiga, que são a base da dieta americana, promovem a inflamação.

A colina, que é uma substância encontrada em alimentos lácteos e carnes, é convertida em compostos pró-inflamatórios pelas bactérias intestinais.

Uma alta ingestão de gorduras saturadas também está associada à obesidade, que alimenta o processo inflamatório. As células de gordura aumentadas em uma pessoa obesa recrutam macrófagos (células grandes que lutam contra infecções), que promovem a resposta inflamatória.

8. Carnes alimentadas com grãos

Animais criados comercialmente (ou em criação industrial) são alimentados com grandes quantidades de soja, milho e outros grãos que são ricos em gorduras ômega-6 e pobres em gorduras ômega-3. Esse desequilíbrio altera o conteúdo de gordura, deixando as carnes alimentadas com grãos ricas em ácidos graxos ômega-6 inflamatórios.

A carne alimentada com grãos também contém hormônios e antibióticos, que aumentam a inflamação.

A alternativa mais saudável são carnes orgânicas alimentadas com pasto e alimentadas com pasto, sem hormônios ou antibióticos.

(Dr. Mark Hyman tem um bom vídeo e artigo que aborda a questão: Carne é boa ou ruim para você?)

9. Carnes Processadas

Carnes frias, salgadinhos, cachorros-quentes e itens semelhantes que foram fumados, curados, enlatados, salgados ou preservados quimicamente são alimentos inflamatórios.

Esses alimentos permitem a formação de produtos finais de glicação avançada (AGEs), que aumentam a inflamação.

Muitas carnes processadas são cozidas em altas temperaturas, o que também promove a produção de produtos químicos inflamatórios.

10. Álcool em grandes quantidades

O consumo leve de álcool (1 a 7 doses por semana) pode diminuir os marcadores inflamatórios.

Porém, mais de 7 drinques por semana promovem a inflamação.

11. Carboidratos Refinados

Pão branco, macarrão, farinha, biscoitos e cereais com baixo teor de fibras estimulam a produção de produtos finais de glicação avançada (AGEs) que causam inflamação.

Esses alimentos também criam um pico de açúcar no sangue que resulta em um estado inflamatório.

12. Glúten

O glúten, que é uma proteína encontrada no trigo, no centeio e na cevada, é o que dá ao pão e à massa sua desejável textura em borracha.

O glúten é comum no pão, mas também pode ser encontrado em produtos assados, sopas, massas, cereais, molhos e molhos para salada.

O corpo de uma pessoa que é sensível ao glúten vê a proteína como um patógeno estranho e, como resposta, desencadeia uma inflamação.

De acordo com a The Gluten Free Society, a sensibilidade ao glúten pode causar inflamação intestinal, bem como inflamação dos músculos e articulações, levando à dor crônica.

13. Adoçantes artificiais

Equal, NutraSweet e outros adoçantes contendo aspartame são comumente usados ​​em alimentos e bebidas para torná-los livres de açúcar.

Algumas pessoas podem desenvolver sensibilidade ao aspartame, que inflama as articulações, causa problemas respiratórios, dores de cabeça, erupções cutâneas e inchaço (pálpebras, lábios).

Se você bebe muito refrigerante diet, come muitos alimentos “light” ou “sem açúcar” ou adiciona adoçantes artificiais à sua comida, eu o encorajo a ler este artigo de Richard J. Sabates, MD que detalha seu chocante relato pessoal de dores nas articulações causadas pelo aspartame.

14. MSGs

Usado como um intensificador de sabor na comida chinesa, os MSGs (glutamato monossódico) promovem a inflamação do fígado.

Em um estudo, os ratos que foram injetados com MSGs desenvolveram inflamação significativa, obesidade abdominal e diabetes tipo 2.

15. Conservantes, cores artificiais e sabores

Aditivos não naturais projetados para aumentar a vida útil ou tornar os alimentos mais visualmente atraentes ou saborosos não são reconhecidos como alimento pelo seu corpo.

Visto como invasores estranhos, o corpo cria inflamação como parte de uma resposta imunológica para se defender contra a substância desconhecida.

16. Refeições Prontas

Essas refeições altamente processadas contêm muitos dos elementos prejudiciais desta lista de alimentos inflamatórios, incluindo óleos vegetais totalmente hidrogenados, MSGs, conservantes, cores artificiais, açúcar e carboidratos refinados.

Quer sejam embaladas em um freezer, caixa ou lata, essas refeições são fáceis de preparar, mas sua capacidade de causar inflamação pode levar a consequências para a saúde a longo prazo e dores crônicas.

17. Intolerâncias alimentares pessoais

Alergias e intolerâncias não são iguais para todos, então é importante notar que qualquer alimento que você não tolera bem pode desencadear uma resposta inflamatória.

As intolerâncias alimentares comuns incluem milho, nozes, ovos, trigo, soja e laticínios.

Se esses alimentos causam desconforto, é possível que comê-los crie uma resposta inflamatória crônica de baixo grau em seu corpo.


O leite é um alimento inflamatório comum. Estima-se que 30 a 50 milhões de americanos sejam intolerantes à lactose.

Ser intolerante à lactose significa que você tem problemas para digerir o açúcar do leite chamado lactose. Pessoas com intolerância à lactose não possuem a enzima lactase, necessária para quebrar o açúcar do leite.

O resultado é uma resposta inflamatória que produz dor de estômago, diarréia, constipação, erupções cutâneas e dificuldade para respirar.

As proteínas do leite (caseína e soro) também podem desencadear uma resposta inflamatória, tornando os produtos lácteos um alimento duplo inflamatório para algumas pessoas.

6. Alimentos Fritos

O óleo usado para fritar os alimentos é rico em ácidos graxos ômega-6. Comer esses alimentos cria um desequilíbrio entre ômega-3 e ômega-6, o que cria inflamação.

Batatas fritas e batatas fritas são cozidas em temperaturas extremamente altas, o que cria uma substância química inflamatória chamada acrilamida. A Organização Mundial da Saúde declara que altos níveis de acrilamida nos alimentos representam uma grande preocupação para a saúde.

7. Gorduras saturadas

Queijo, carne gordurosa e manteiga, que são a base da dieta americana, promovem a inflamação.

A colina, que é uma substância encontrada em alimentos lácteos e carnes, é convertida em compostos pró-inflamatórios pelas bactérias intestinais.

Uma alta ingestão de gorduras saturadas também está associada à obesidade, que alimenta o processo inflamatório. As células de gordura aumentadas em uma pessoa obesa recrutam macrófagos (células grandes que lutam contra infecções), que promovem a resposta inflamatória.

8. Carnes alimentadas com grãos

Animais criados comercialmente (ou em criação industrial) são alimentados com grandes quantidades de soja, milho e outros grãos que são ricos em gorduras ômega-6 e pobres em gorduras ômega-3. Esse desequilíbrio altera o conteúdo de gordura, deixando as carnes alimentadas com grãos ricas em ácidos graxos ômega-6 inflamatórios.

A carne alimentada com grãos também contém hormônios e antibióticos, que aumentam a inflamação.

A alternativa mais saudável são carnes orgânicas alimentadas com pasto e alimentadas com pasto, sem hormônios ou antibióticos.

(Dr. Mark Hyman tem um bom vídeo e artigo que aborda a questão: Carne é boa ou ruim para você?)

9. Carnes Processadas

Carnes frias, salgadinhos, cachorros-quentes e itens semelhantes que foram fumados, curados, enlatados, salgados ou preservados quimicamente são alimentos inflamatórios.

Esses alimentos permitem a formação de produtos finais de glicação avançada (AGEs), que aumentam a inflamação.

Muitas carnes processadas são cozidas em altas temperaturas, o que também promove a produção de produtos químicos inflamatórios.

10. Álcool em grandes quantidades

O consumo leve de álcool (1 a 7 doses por semana) pode diminuir os marcadores inflamatórios.

Porém, mais de 7 drinques por semana promovem a inflamação.

11. Carboidratos Refinados

Pão branco, macarrão, farinha, biscoitos e cereais com baixo teor de fibras estimulam a produção de produtos finais de glicação avançada (AGEs) que causam inflamação.

Esses alimentos também criam um pico de açúcar no sangue que resulta em um estado inflamatório.

12. Glúten

O glúten, que é uma proteína encontrada no trigo, no centeio e na cevada, é o que dá ao pão e à massa sua desejável textura em borracha.

O glúten é comum no pão, mas também pode ser encontrado em produtos assados, sopas, massas, cereais, molhos e molhos para salada.

O corpo de uma pessoa que é sensível ao glúten vê a proteína como um patógeno estranho e, como resposta, desencadeia uma inflamação.

De acordo com a The Gluten Free Society, a sensibilidade ao glúten pode causar inflamação intestinal, bem como inflamação dos músculos e articulações, levando à dor crônica.

13. Adoçantes artificiais

Equal, NutraSweet e outros adoçantes contendo aspartame são comumente usados ​​em alimentos e bebidas para torná-los livres de açúcar.

Algumas pessoas podem desenvolver sensibilidade ao aspartame, que inflama as articulações, causa problemas respiratórios, dores de cabeça, erupções cutâneas e inchaço (pálpebras, lábios).

Se você bebe muito refrigerante diet, come muitos alimentos “light” ou “sem açúcar” ou adiciona adoçantes artificiais à sua comida, eu o encorajo a ler este artigo de Richard J. Sabates, MD que detalha seu chocante relato pessoal de dores nas articulações causadas pelo aspartame.

14. MSGs

Usado como um intensificador de sabor na comida chinesa, os MSGs (glutamato monossódico) promovem a inflamação do fígado.

Em um estudo, os ratos que foram injetados com MSGs desenvolveram inflamação significativa, obesidade abdominal e diabetes tipo 2.

15. Conservantes, cores artificiais e sabores

Aditivos não naturais projetados para aumentar a vida útil ou tornar os alimentos mais visualmente atraentes ou saborosos não são reconhecidos como alimento pelo seu corpo.

Visto como invasores estranhos, o corpo cria inflamação como parte de uma resposta imunológica para se defender contra a substância desconhecida.

16. Refeições Prontas

Essas refeições altamente processadas contêm muitos dos elementos prejudiciais desta lista de alimentos inflamatórios, incluindo óleos vegetais totalmente hidrogenados, MSGs, conservantes, cores artificiais, açúcar e carboidratos refinados.

Quer sejam embaladas em um freezer, caixa ou lata, essas refeições são fáceis de preparar, mas sua capacidade de causar inflamação pode levar a consequências de longo prazo para a saúde e dores crônicas.

17. Intolerâncias alimentares pessoais

Alergias e intolerâncias não são iguais para todos, então é importante notar que qualquer alimento que você não tolera bem pode desencadear uma resposta inflamatória.

As intolerâncias alimentares comuns incluem milho, nozes, ovos, trigo, soja e laticínios.

Se esses alimentos causam desconforto, é possível que comê-los crie uma resposta inflamatória crônica de baixo grau em seu corpo.


O leite é um alimento inflamatório comum. Estima-se que 30 a 50 milhões de americanos sejam intolerantes à lactose.

Ser intolerante à lactose significa que você tem problemas para digerir o açúcar do leite chamado lactose. Pessoas com intolerância à lactose não possuem a enzima lactase, necessária para quebrar o açúcar do leite.

O resultado é uma resposta inflamatória que produz dor de estômago, diarréia, constipação, erupções cutâneas e dificuldade para respirar.

As proteínas do leite (caseína e soro) também podem desencadear uma resposta inflamatória, tornando os produtos lácteos um alimento duplo inflamatório para algumas pessoas.

6. Alimentos Fritos

O óleo usado para fritar os alimentos é rico em ácidos graxos ômega-6. Comer esses alimentos cria um desequilíbrio entre ômega-3 e ômega-6, o que cria inflamação.

Batatas fritas e batatas fritas são cozidas em temperaturas extremamente altas, o que cria uma substância química inflamatória chamada acrilamida. A Organização Mundial da Saúde declara que altos níveis de acrilamida nos alimentos representam uma grande preocupação para a saúde.

7. Gorduras saturadas

Queijo, carne gordurosa e manteiga, que são a base da dieta americana, promovem a inflamação.

A colina, que é uma substância encontrada em alimentos lácteos e carnes, é convertida em compostos pró-inflamatórios pelas bactérias intestinais.

Uma alta ingestão de gorduras saturadas também está associada à obesidade, que alimenta o processo inflamatório. As células de gordura aumentadas em uma pessoa obesa recrutam macrófagos (células grandes que lutam contra infecções), que promovem a resposta inflamatória.

8. Carnes alimentadas com grãos

Animais criados comercialmente (ou em criação industrial) são alimentados com grandes quantidades de soja, milho e outros grãos que são ricos em gorduras ômega-6 e pobres em gorduras ômega-3. Esse desequilíbrio altera o conteúdo de gordura, deixando as carnes alimentadas com grãos ricas em ácidos graxos ômega-6 inflamatórios.

A carne alimentada com grãos também contém hormônios e antibióticos, que aumentam a inflamação.

A alternativa mais saudável são carnes orgânicas alimentadas com pasto e alimentadas com pasto, sem hormônios ou antibióticos.

(Dr. Mark Hyman tem um bom vídeo e artigo que aborda a questão: Carne é boa ou ruim para você?)

9. Carnes Processadas

Carnes frias, salgadinhos, cachorros-quentes e itens semelhantes que foram fumados, curados, enlatados, salgados ou preservados quimicamente são alimentos inflamatórios.

Esses alimentos permitem a formação de produtos finais de glicação avançada (AGEs), que aumentam a inflamação.

Muitas carnes processadas são cozidas em altas temperaturas, o que também promove a produção de produtos químicos inflamatórios.

10. Álcool em grandes quantidades

O consumo leve de álcool (1 a 7 doses por semana) pode diminuir os marcadores inflamatórios.

Porém, mais de 7 drinques por semana promovem a inflamação.

11. Carboidratos Refinados

Pão branco, macarrão, farinha, biscoitos e cereais com baixo teor de fibras estimulam a produção de produtos finais de glicação avançada (AGEs) que causam inflamação.

Esses alimentos também criam um pico de açúcar no sangue que resulta em um estado inflamatório.

12. Glúten

O glúten, que é uma proteína encontrada no trigo, no centeio e na cevada, é o que dá ao pão e à massa sua desejável textura em borracha.

O glúten é comum no pão, mas também pode ser encontrado em produtos assados, sopas, massas, cereais, molhos e molhos para salada.

O corpo de uma pessoa que é sensível ao glúten vê a proteína como um patógeno estranho e, como resposta, desencadeia uma inflamação.

De acordo com a The Gluten Free Society, a sensibilidade ao glúten pode causar inflamação do intestino, bem como inflamação dos músculos e articulações, levando à dor crônica.

13. Adoçantes artificiais

Equal, NutraSweet e outros adoçantes contendo aspartame são comumente usados ​​em alimentos e bebidas para torná-los livres de açúcar.

Algumas pessoas podem desenvolver sensibilidade ao aspartame, que inflama as articulações, causa problemas respiratórios, dores de cabeça, erupções cutâneas e inchaço (pálpebras, lábios).

Se você bebe muito refrigerante diet, come muitos alimentos “light” ou “sem açúcar” ou adiciona adoçantes artificiais à sua comida, eu o encorajo a ler este artigo de Richard J. Sabates, MD que detalha seu chocante relato pessoal de dores nas articulações causadas pelo aspartame.

14. MSGs

Usado como um intensificador de sabor na comida chinesa, os MSGs (glutamato monossódico) promovem a inflamação do fígado.

Em um estudo, os ratos que foram injetados com MSGs desenvolveram inflamação significativa, obesidade abdominal e diabetes tipo 2.

15. Conservantes, cores artificiais e sabores

Aditivos não naturais projetados para aumentar a vida útil ou tornar os alimentos mais visualmente atraentes ou saborosos não são reconhecidos como alimento pelo seu corpo.

Visto como invasores estranhos, o corpo cria inflamação como parte de uma resposta imunológica para se defender contra a substância desconhecida.

16. Refeições Prontas

Essas refeições altamente processadas contêm muitos dos elementos prejudiciais desta lista de alimentos inflamatórios, incluindo óleos vegetais totalmente hidrogenados, MSGs, conservantes, cores artificiais, açúcar e carboidratos refinados.

Quer sejam embaladas em um freezer, caixa ou lata, essas refeições são fáceis de preparar, mas sua capacidade de causar inflamação pode levar a consequências para a saúde a longo prazo e dores crônicas.

17. Intolerâncias alimentares pessoais

Alergias e intolerâncias não são iguais para todos, então é importante notar que qualquer alimento que você não tolera bem pode desencadear uma resposta inflamatória.

As intolerâncias alimentares comuns incluem milho, nozes, ovos, trigo, soja e laticínios.

Se esses alimentos causam desconforto, é possível que comê-los crie uma resposta inflamatória crônica de baixo grau em seu corpo.


O leite é um alimento inflamatório comum. Estima-se que 30 a 50 milhões de americanos sejam intolerantes à lactose.

Ser intolerante à lactose significa que você tem problemas para digerir o açúcar do leite chamado lactose. Pessoas com intolerância à lactose não possuem a enzima lactase, necessária para quebrar o açúcar do leite.

O resultado é uma resposta inflamatória que produz dor de estômago, diarreia, prisão de ventre, erupções cutâneas e dificuldade para respirar.

The proteins in milk (casein and whey) may also trigger an inflammatory response making dairy products a double inflammatory food for some people.

6. Fried Foods

The oil used to fry foods is high in omega-6 fatty acids. Eating these foods creates an imbalance between omega-3 and omega-6, which creates inflammation.

French fries and potato chips are cooked to extremely high temperatures, which creates an inflammatory chemical called acrylamide. The World Health Organization states that high levels of acrylamide in foods pose a major health concern.

7. Saturated Fats

Cheese, fatty beef, and butter, which are staples of the American diet, promote inflammation.

Choline, which is a substance found in dairy foods and meat, is converted to pro-inflammatory compounds by gut bacteria.

A high intake of saturated fats is also associated with obesity, which feeds the inflammatory process. Enlarged fat cells in an obese person recruit macrophages (large cells that fight infection), which promotes the inflammatory response.

8. Grain-Fed Meats

Animals raised commercially (or, factory-farmed) are fed high amounts of soybeans, corn and other grains that are high in omega-6 fats, and low in omega-3 fats. This imbalance alters the fat content, leaving grain-fed meats high in inflammatory omega-6 fatty acids.

Grain-fed meat also contains hormones and antibiotics, which add inflammation.

The healthier alternative is grass-fed, pasture-raised organic meats raised without hormones or antibiotics.

(Dr. Mark Hyman has a nice video and article that tackles the question, Is Meat Good or Bad for You?)

9. Processed Meats

Deli meats, lunch meats, hot dogs, and similar items that have been smoked, cured, canned, salted or chemically preserved are inflammatory foods.

These foods allow for the formation of advanced glycation end products (AGEs), which increase inflammation.

Many processed meats are cooked at high temperatures, which also promote the production of inflammatory chemicals.

10. Alcohol in High Amounts

Light alcohol consumption (1 to 7 drinks per week) may lower inflammatory markers.

But, more than 7 drinks per week promote inflammation.

11. Refined Carbohydrates

White bread, pasta, flour, crackers, and low-fiber cereals stimulate the production of inflammation-causing advanced glycation end products (AGEs).

These foods also create a blood sugar spike that results in an inflammatory state.

12. Gluten

Gluten, which is a protein found in wheat, rye, and barley is what gives bread and dough its desirable chewy texture.

Gluten is common in bread, but can also be found in baked goods, soups, pasta, cereal, sauces, and salad dressings.

The body of a person who is sensitive to gluten sees the protein as a foreign pathogen and triggers inflammation as a response.

According to The Gluten Free Society, sensitivity to gluten can cause gut inflammation as well as inflammation of the muscles and joints leading to chronic pain.

13. Artificial Sweeteners

Equal, NutraSweet and other Aspartame-containing sweeteners are commonly used in foods and beverages to make them sugar-free.

Some people can develop sensitivity to aspartame that inflames joints, causes breathing problems, headaches, skin rashes and swelling (eyelids, lips).

If you drink a lot of diet soda, eat a lot of “light” or “sugar-free” foods, or add artificial sweeteners to your food, I encourage you to read this article by Richard J. Sabates, M.D that details his shocking personal account of joint pain caused by aspartame.

14. MSGs

Used as a flavor enhancer in Chinese food, MSGs (monosodium glutamate) promote liver inflammation.

In a study, mice that were injected with MSGs developed significant inflammation, abdominal obesity, and type 2 diabetes.

15. Preservatives, Artificial Colors, and Flavors

Unnatural additives designed to increase shelf life or make foods more visually appealing or flavorful are not recognized as food by your body.

Viewed as foreign invaders, the body creates inflammation as part of an immune response to defend against the unknown substance.

16. Ready-To-Eat Meals

These highly processed meals contain many of the harmful elements from this inflammatory foods list, including fully hydrogenated vegetable oils, MSGs, preservatives, artificial colors, sugar, and refined carbs.

Whether packaged in a freezer bag, box or can, these meals are easy to prepare, but their ability to cause inflammation can lead to long-term health consequences and chronic pain.

17. Personal Food Intolerances

Allergies and intolerances are not the same for everyone, so it’s worth noting that any food that you don’t tolerate well could trigger an inflammatory response.

Common food intolerances include corn, nuts, eggs, wheat, soy, and dairy products.

If these foods lead to discomfort, it’s possible that eating them creates a chronic low-grade inflammatory response in your body.


Milk is a common inflammatory food. It’s estimated that 30 to 50 million Americans are lactose intolerant.

Being lactose intolerant means you have trouble digesting the sugar in milk called lactose. Lactose intolerant people lack the enzyme lactase, which is needed to break down the milk sugar.

The result is an inflammatory response that produces stomach pain, diarrhea, constipation, skin rashes, and trouble breathing.

The proteins in milk (casein and whey) may also trigger an inflammatory response making dairy products a double inflammatory food for some people.

6. Fried Foods

The oil used to fry foods is high in omega-6 fatty acids. Eating these foods creates an imbalance between omega-3 and omega-6, which creates inflammation.

French fries and potato chips are cooked to extremely high temperatures, which creates an inflammatory chemical called acrylamide. The World Health Organization states that high levels of acrylamide in foods pose a major health concern.

7. Saturated Fats

Cheese, fatty beef, and butter, which are staples of the American diet, promote inflammation.

Choline, which is a substance found in dairy foods and meat, is converted to pro-inflammatory compounds by gut bacteria.

A high intake of saturated fats is also associated with obesity, which feeds the inflammatory process. Enlarged fat cells in an obese person recruit macrophages (large cells that fight infection), which promotes the inflammatory response.

8. Grain-Fed Meats

Animals raised commercially (or, factory-farmed) are fed high amounts of soybeans, corn and other grains that are high in omega-6 fats, and low in omega-3 fats. This imbalance alters the fat content, leaving grain-fed meats high in inflammatory omega-6 fatty acids.

Grain-fed meat also contains hormones and antibiotics, which add inflammation.

The healthier alternative is grass-fed, pasture-raised organic meats raised without hormones or antibiotics.

(Dr. Mark Hyman has a nice video and article that tackles the question, Is Meat Good or Bad for You?)

9. Processed Meats

Deli meats, lunch meats, hot dogs, and similar items that have been smoked, cured, canned, salted or chemically preserved are inflammatory foods.

These foods allow for the formation of advanced glycation end products (AGEs), which increase inflammation.

Many processed meats are cooked at high temperatures, which also promote the production of inflammatory chemicals.

10. Alcohol in High Amounts

Light alcohol consumption (1 to 7 drinks per week) may lower inflammatory markers.

But, more than 7 drinks per week promote inflammation.

11. Refined Carbohydrates

White bread, pasta, flour, crackers, and low-fiber cereals stimulate the production of inflammation-causing advanced glycation end products (AGEs).

These foods also create a blood sugar spike that results in an inflammatory state.

12. Gluten

Gluten, which is a protein found in wheat, rye, and barley is what gives bread and dough its desirable chewy texture.

Gluten is common in bread, but can also be found in baked goods, soups, pasta, cereal, sauces, and salad dressings.

The body of a person who is sensitive to gluten sees the protein as a foreign pathogen and triggers inflammation as a response.

According to The Gluten Free Society, sensitivity to gluten can cause gut inflammation as well as inflammation of the muscles and joints leading to chronic pain.

13. Artificial Sweeteners

Equal, NutraSweet and other Aspartame-containing sweeteners are commonly used in foods and beverages to make them sugar-free.

Some people can develop sensitivity to aspartame that inflames joints, causes breathing problems, headaches, skin rashes and swelling (eyelids, lips).

If you drink a lot of diet soda, eat a lot of “light” or “sugar-free” foods, or add artificial sweeteners to your food, I encourage you to read this article by Richard J. Sabates, M.D that details his shocking personal account of joint pain caused by aspartame.

14. MSGs

Used as a flavor enhancer in Chinese food, MSGs (monosodium glutamate) promote liver inflammation.

In a study, mice that were injected with MSGs developed significant inflammation, abdominal obesity, and type 2 diabetes.

15. Preservatives, Artificial Colors, and Flavors

Unnatural additives designed to increase shelf life or make foods more visually appealing or flavorful are not recognized as food by your body.

Viewed as foreign invaders, the body creates inflammation as part of an immune response to defend against the unknown substance.

16. Ready-To-Eat Meals

These highly processed meals contain many of the harmful elements from this inflammatory foods list, including fully hydrogenated vegetable oils, MSGs, preservatives, artificial colors, sugar, and refined carbs.

Whether packaged in a freezer bag, box or can, these meals are easy to prepare, but their ability to cause inflammation can lead to long-term health consequences and chronic pain.

17. Personal Food Intolerances

Allergies and intolerances are not the same for everyone, so it’s worth noting that any food that you don’t tolerate well could trigger an inflammatory response.

Common food intolerances include corn, nuts, eggs, wheat, soy, and dairy products.

If these foods lead to discomfort, it’s possible that eating them creates a chronic low-grade inflammatory response in your body.


Milk is a common inflammatory food. It’s estimated that 30 to 50 million Americans are lactose intolerant.

Being lactose intolerant means you have trouble digesting the sugar in milk called lactose. Lactose intolerant people lack the enzyme lactase, which is needed to break down the milk sugar.

The result is an inflammatory response that produces stomach pain, diarrhea, constipation, skin rashes, and trouble breathing.

The proteins in milk (casein and whey) may also trigger an inflammatory response making dairy products a double inflammatory food for some people.

6. Fried Foods

The oil used to fry foods is high in omega-6 fatty acids. Eating these foods creates an imbalance between omega-3 and omega-6, which creates inflammation.

French fries and potato chips are cooked to extremely high temperatures, which creates an inflammatory chemical called acrylamide. The World Health Organization states that high levels of acrylamide in foods pose a major health concern.

7. Saturated Fats

Cheese, fatty beef, and butter, which are staples of the American diet, promote inflammation.

Choline, which is a substance found in dairy foods and meat, is converted to pro-inflammatory compounds by gut bacteria.

A high intake of saturated fats is also associated with obesity, which feeds the inflammatory process. Enlarged fat cells in an obese person recruit macrophages (large cells that fight infection), which promotes the inflammatory response.

8. Grain-Fed Meats

Animals raised commercially (or, factory-farmed) are fed high amounts of soybeans, corn and other grains that are high in omega-6 fats, and low in omega-3 fats. This imbalance alters the fat content, leaving grain-fed meats high in inflammatory omega-6 fatty acids.

Grain-fed meat also contains hormones and antibiotics, which add inflammation.

The healthier alternative is grass-fed, pasture-raised organic meats raised without hormones or antibiotics.

(Dr. Mark Hyman has a nice video and article that tackles the question, Is Meat Good or Bad for You?)

9. Processed Meats

Deli meats, lunch meats, hot dogs, and similar items that have been smoked, cured, canned, salted or chemically preserved are inflammatory foods.

These foods allow for the formation of advanced glycation end products (AGEs), which increase inflammation.

Many processed meats are cooked at high temperatures, which also promote the production of inflammatory chemicals.

10. Alcohol in High Amounts

Light alcohol consumption (1 to 7 drinks per week) may lower inflammatory markers.

But, more than 7 drinks per week promote inflammation.

11. Refined Carbohydrates

White bread, pasta, flour, crackers, and low-fiber cereals stimulate the production of inflammation-causing advanced glycation end products (AGEs).

These foods also create a blood sugar spike that results in an inflammatory state.

12. Gluten

Gluten, which is a protein found in wheat, rye, and barley is what gives bread and dough its desirable chewy texture.

Gluten is common in bread, but can also be found in baked goods, soups, pasta, cereal, sauces, and salad dressings.

The body of a person who is sensitive to gluten sees the protein as a foreign pathogen and triggers inflammation as a response.

According to The Gluten Free Society, sensitivity to gluten can cause gut inflammation as well as inflammation of the muscles and joints leading to chronic pain.

13. Artificial Sweeteners

Equal, NutraSweet and other Aspartame-containing sweeteners are commonly used in foods and beverages to make them sugar-free.

Some people can develop sensitivity to aspartame that inflames joints, causes breathing problems, headaches, skin rashes and swelling (eyelids, lips).

If you drink a lot of diet soda, eat a lot of “light” or “sugar-free” foods, or add artificial sweeteners to your food, I encourage you to read this article by Richard J. Sabates, M.D that details his shocking personal account of joint pain caused by aspartame.

14. MSGs

Used as a flavor enhancer in Chinese food, MSGs (monosodium glutamate) promote liver inflammation.

In a study, mice that were injected with MSGs developed significant inflammation, abdominal obesity, and type 2 diabetes.

15. Preservatives, Artificial Colors, and Flavors

Unnatural additives designed to increase shelf life or make foods more visually appealing or flavorful are not recognized as food by your body.

Viewed as foreign invaders, the body creates inflammation as part of an immune response to defend against the unknown substance.

16. Ready-To-Eat Meals

These highly processed meals contain many of the harmful elements from this inflammatory foods list, including fully hydrogenated vegetable oils, MSGs, preservatives, artificial colors, sugar, and refined carbs.

Whether packaged in a freezer bag, box or can, these meals are easy to prepare, but their ability to cause inflammation can lead to long-term health consequences and chronic pain.

17. Personal Food Intolerances

Allergies and intolerances are not the same for everyone, so it’s worth noting that any food that you don’t tolerate well could trigger an inflammatory response.

Common food intolerances include corn, nuts, eggs, wheat, soy, and dairy products.

If these foods lead to discomfort, it’s possible that eating them creates a chronic low-grade inflammatory response in your body.


Milk is a common inflammatory food. It’s estimated that 30 to 50 million Americans are lactose intolerant.

Being lactose intolerant means you have trouble digesting the sugar in milk called lactose. Lactose intolerant people lack the enzyme lactase, which is needed to break down the milk sugar.

The result is an inflammatory response that produces stomach pain, diarrhea, constipation, skin rashes, and trouble breathing.

The proteins in milk (casein and whey) may also trigger an inflammatory response making dairy products a double inflammatory food for some people.

6. Fried Foods

The oil used to fry foods is high in omega-6 fatty acids. Eating these foods creates an imbalance between omega-3 and omega-6, which creates inflammation.

French fries and potato chips are cooked to extremely high temperatures, which creates an inflammatory chemical called acrylamide. The World Health Organization states that high levels of acrylamide in foods pose a major health concern.

7. Saturated Fats

Cheese, fatty beef, and butter, which are staples of the American diet, promote inflammation.

Choline, which is a substance found in dairy foods and meat, is converted to pro-inflammatory compounds by gut bacteria.

A high intake of saturated fats is also associated with obesity, which feeds the inflammatory process. Enlarged fat cells in an obese person recruit macrophages (large cells that fight infection), which promotes the inflammatory response.

8. Grain-Fed Meats

Animals raised commercially (or, factory-farmed) are fed high amounts of soybeans, corn and other grains that are high in omega-6 fats, and low in omega-3 fats. This imbalance alters the fat content, leaving grain-fed meats high in inflammatory omega-6 fatty acids.

Grain-fed meat also contains hormones and antibiotics, which add inflammation.

The healthier alternative is grass-fed, pasture-raised organic meats raised without hormones or antibiotics.

(Dr. Mark Hyman has a nice video and article that tackles the question, Is Meat Good or Bad for You?)

9. Processed Meats

Deli meats, lunch meats, hot dogs, and similar items that have been smoked, cured, canned, salted or chemically preserved are inflammatory foods.

These foods allow for the formation of advanced glycation end products (AGEs), which increase inflammation.

Many processed meats are cooked at high temperatures, which also promote the production of inflammatory chemicals.

10. Alcohol in High Amounts

Light alcohol consumption (1 to 7 drinks per week) may lower inflammatory markers.

But, more than 7 drinks per week promote inflammation.

11. Refined Carbohydrates

White bread, pasta, flour, crackers, and low-fiber cereals stimulate the production of inflammation-causing advanced glycation end products (AGEs).

These foods also create a blood sugar spike that results in an inflammatory state.

12. Gluten

Gluten, which is a protein found in wheat, rye, and barley is what gives bread and dough its desirable chewy texture.

Gluten is common in bread, but can also be found in baked goods, soups, pasta, cereal, sauces, and salad dressings.

The body of a person who is sensitive to gluten sees the protein as a foreign pathogen and triggers inflammation as a response.

According to The Gluten Free Society, sensitivity to gluten can cause gut inflammation as well as inflammation of the muscles and joints leading to chronic pain.

13. Artificial Sweeteners

Equal, NutraSweet and other Aspartame-containing sweeteners are commonly used in foods and beverages to make them sugar-free.

Some people can develop sensitivity to aspartame that inflames joints, causes breathing problems, headaches, skin rashes and swelling (eyelids, lips).

If you drink a lot of diet soda, eat a lot of “light” or “sugar-free” foods, or add artificial sweeteners to your food, I encourage you to read this article by Richard J. Sabates, M.D that details his shocking personal account of joint pain caused by aspartame.

14. MSGs

Used as a flavor enhancer in Chinese food, MSGs (monosodium glutamate) promote liver inflammation.

In a study, mice that were injected with MSGs developed significant inflammation, abdominal obesity, and type 2 diabetes.

15. Preservatives, Artificial Colors, and Flavors

Unnatural additives designed to increase shelf life or make foods more visually appealing or flavorful are not recognized as food by your body.

Viewed as foreign invaders, the body creates inflammation as part of an immune response to defend against the unknown substance.

16. Ready-To-Eat Meals

These highly processed meals contain many of the harmful elements from this inflammatory foods list, including fully hydrogenated vegetable oils, MSGs, preservatives, artificial colors, sugar, and refined carbs.

Whether packaged in a freezer bag, box or can, these meals are easy to prepare, but their ability to cause inflammation can lead to long-term health consequences and chronic pain.

17. Personal Food Intolerances

Allergies and intolerances are not the same for everyone, so it’s worth noting that any food that you don’t tolerate well could trigger an inflammatory response.

Common food intolerances include corn, nuts, eggs, wheat, soy, and dairy products.

If these foods lead to discomfort, it’s possible that eating them creates a chronic low-grade inflammatory response in your body.


Milk is a common inflammatory food. It’s estimated that 30 to 50 million Americans are lactose intolerant.

Being lactose intolerant means you have trouble digesting the sugar in milk called lactose. Lactose intolerant people lack the enzyme lactase, which is needed to break down the milk sugar.

The result is an inflammatory response that produces stomach pain, diarrhea, constipation, skin rashes, and trouble breathing.

The proteins in milk (casein and whey) may also trigger an inflammatory response making dairy products a double inflammatory food for some people.

6. Fried Foods

The oil used to fry foods is high in omega-6 fatty acids. Eating these foods creates an imbalance between omega-3 and omega-6, which creates inflammation.

French fries and potato chips are cooked to extremely high temperatures, which creates an inflammatory chemical called acrylamide. The World Health Organization states that high levels of acrylamide in foods pose a major health concern.

7. Saturated Fats

Cheese, fatty beef, and butter, which are staples of the American diet, promote inflammation.

Choline, which is a substance found in dairy foods and meat, is converted to pro-inflammatory compounds by gut bacteria.

A high intake of saturated fats is also associated with obesity, which feeds the inflammatory process. Enlarged fat cells in an obese person recruit macrophages (large cells that fight infection), which promotes the inflammatory response.

8. Grain-Fed Meats

Animals raised commercially (or, factory-farmed) are fed high amounts of soybeans, corn and other grains that are high in omega-6 fats, and low in omega-3 fats. This imbalance alters the fat content, leaving grain-fed meats high in inflammatory omega-6 fatty acids.

Grain-fed meat also contains hormones and antibiotics, which add inflammation.

The healthier alternative is grass-fed, pasture-raised organic meats raised without hormones or antibiotics.

(Dr. Mark Hyman has a nice video and article that tackles the question, Is Meat Good or Bad for You?)

9. Processed Meats

Deli meats, lunch meats, hot dogs, and similar items that have been smoked, cured, canned, salted or chemically preserved are inflammatory foods.

These foods allow for the formation of advanced glycation end products (AGEs), which increase inflammation.

Many processed meats are cooked at high temperatures, which also promote the production of inflammatory chemicals.

10. Alcohol in High Amounts

Light alcohol consumption (1 to 7 drinks per week) may lower inflammatory markers.

But, more than 7 drinks per week promote inflammation.

11. Refined Carbohydrates

White bread, pasta, flour, crackers, and low-fiber cereals stimulate the production of inflammation-causing advanced glycation end products (AGEs).

These foods also create a blood sugar spike that results in an inflammatory state.

12. Gluten

Gluten, which is a protein found in wheat, rye, and barley is what gives bread and dough its desirable chewy texture.

Gluten is common in bread, but can also be found in baked goods, soups, pasta, cereal, sauces, and salad dressings.

The body of a person who is sensitive to gluten sees the protein as a foreign pathogen and triggers inflammation as a response.

According to The Gluten Free Society, sensitivity to gluten can cause gut inflammation as well as inflammation of the muscles and joints leading to chronic pain.

13. Artificial Sweeteners

Equal, NutraSweet and other Aspartame-containing sweeteners are commonly used in foods and beverages to make them sugar-free.

Some people can develop sensitivity to aspartame that inflames joints, causes breathing problems, headaches, skin rashes and swelling (eyelids, lips).

If you drink a lot of diet soda, eat a lot of “light” or “sugar-free” foods, or add artificial sweeteners to your food, I encourage you to read this article by Richard J. Sabates, M.D that details his shocking personal account of joint pain caused by aspartame.

14. MSGs

Used as a flavor enhancer in Chinese food, MSGs (monosodium glutamate) promote liver inflammation.

In a study, mice that were injected with MSGs developed significant inflammation, abdominal obesity, and type 2 diabetes.

15. Preservatives, Artificial Colors, and Flavors

Unnatural additives designed to increase shelf life or make foods more visually appealing or flavorful are not recognized as food by your body.

Viewed as foreign invaders, the body creates inflammation as part of an immune response to defend against the unknown substance.

16. Ready-To-Eat Meals

These highly processed meals contain many of the harmful elements from this inflammatory foods list, including fully hydrogenated vegetable oils, MSGs, preservatives, artificial colors, sugar, and refined carbs.

Whether packaged in a freezer bag, box or can, these meals are easy to prepare, but their ability to cause inflammation can lead to long-term health consequences and chronic pain.

17. Personal Food Intolerances

Allergies and intolerances are not the same for everyone, so it’s worth noting that any food that you don’t tolerate well could trigger an inflammatory response.

Common food intolerances include corn, nuts, eggs, wheat, soy, and dairy products.

If these foods lead to discomfort, it’s possible that eating them creates a chronic low-grade inflammatory response in your body.


Assista o vídeo: Alergia Alimentar infantil - Dra Ariana Yang.


Comentários:

  1. Kong

    Na minha opinião, aqui alguém entrou em ciclos

  2. Nortin

    Seguindo a lei de um sanduíche, podemos concluir que se um sanduíche for manchado dos dois lados, ele ficará pendurado no ar. Quantos anos tem o seu moleque? Dezesseis? Sim, é tarde demais para fazer um aborto... Se o inimigo não desistir, eles o reiniciam! Não jogue gobies em urinóis, não mijamos em seus cinzeiros para pisotear KLAVA - isso não é para você se deliciar com JOYSTICK ... Schaub, você viveu como é pobre! A vida é tão curta! Tenha um pouco de paciência! O vento soprava tão forte que os cigarros eram apagados com os dentes...

  3. Zebadiah

    E isso é eficaz?

  4. Calbert

    Considero, que você está enganado. Sugiro que discuta. Escreva para mim em PM, vamos conversar.

  5. Cordale

    O vento vai explodir todas as doenças

  6. Abdul-Samad

    Entre nós falando, tentei decidir esse problema.

  7. Winefrith

    Um bom tema



Escreve uma mensagem